Encontrando Deus na Sagrada Escritura

A nossa fé Católica é firmada sobre três pilares: Sagrada Escritura, Sagrada Tradição e Sagrado Magistério. No mês de setembro, de forma especial, a Igreja dá destaque à Sagrada Escritura. O termo “bíblia” é uma palavra grega que não foi traduzida para o português e vem da expressão ta bíblia, “os livros”, escritos por cerca de 40 homens ao longo de 1600 anos; homens inspirados pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus (1Pd 1,21) para ensinar, repreender, corrigir e educar na justiça, a fim de que o homem de Deus, eu e você, sejamos perfeitos e capacitados para toda boa obra (2 Timóteo 3,16-17).

Há uma profundidade sobre a Bíblia. Foi escrita por inspiração divina, logo, trata-se de um Livro Sagrado. Não podemos olhá-la como um mero livro, no entanto, devemos ter cuidado para não irmos ao outro extremo e, cairmos na superstição, tratando-a como um amuleto. Em uma audiência geral, no ano de 2012, o Papa Emérito Bento XVI, ensinava-nos que a Sagrada Escritura é um diálogo permanente entre Deus e o homem, um diálogo progressivo no qual Deus se mostra cada vez mais perto, no qual podemos reconhecer melhor a sua face, a sua voz e o seu ser; e o homem aprende a aceitar que conhece Deus, a falar com Deus. Existe esta dimensão espiritual, de presença, de relacionamento, sobretudo, amizade com o Senhor.

Da mesma forma que nos encontramos com alguém no dia-a-dia, um amigo ou um parente, para conversar, entreter-nos, partilhar; a pessoa fala e nós também; quando oramos, falamos com Deus e quando rezamos com a Palavra, Deus fala conosco (cf. São Jerônimo). Isso é um encontro com o Senhor, irmãos.

Para tanto, precisamos compreender que, muito mais do que procurá-Lo, Ele, primeiramente, está se deixando encontrar. O Senhor está se expondo a nós! Uma vez que Ele se deixa encontrar, buscai o Senhor… “Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e me abrir a porta, entrarei em sua casa e cearemos, eu com ele e ele comigo” (Ap. 3,20). Vem muito ao meu coração a imagem da última ceia, São João declinando a cabeça sobre o peito do Senhor, um momento profundo, de intimidade e de experiência; e o Senhor diz aos seus discípulos: “Como tenho desejado ardentemente este momento…” (cf. Lc. 22, 15); como o Senhor tem desejado este momento de encontro conosco!

Há tempo, irmão! Comece hoje, comece agora! Porque conhecer a Jesus, já nos ensina o Documento de Aparecida, parágrafo 29, é o melhor presente que qualquer pessoa pode receber; tê-lO encontrado é o melhor que poderia ocorrer em nossas vidas. Buscai-O na Palavra e não perca a chance. Deseje-O do fundo do seu coração!

——
Por: José Gledyson da Silva (Cood. Est. do Min. de Pregação da RCCBA)
Fonte: site www.rccbrasil.org.br